Tuesday, October 26, 2010

Corrida do Tejo


Dois dias depois do meu segundo grande teste antes da Maratona de Lisboa, acordo que as pernas bem mais pesadas que o habitual.

No domingo passado, realizou-se mais uma grande festa do desporto. Na linha de partida, cerca de 1o mil corredores, cada um com o seu objectivo: ganhar, chegar ao fim, baixar o tempo, etc. O meu desafio era mais um treino longo de 35km, dos quais os 10km iniciais eram a Corrida do Tejo. O do Nuno Pereira, que esteve muitos meses parado com problemas de costas, era fazer 45 minutos.

Tudo correu com planeado. Eu terminei os 10km em 41m, recolhi a minha garrafa de água, a barra de cereais e a bebida isotónica e arranquei para mais 25km a baixo ritmo. O Nuno, terminou os seus 10km em 45m, fez os seus alongamentos e foi para casa. É incrível, como a estes pequenos passinhos, conseguem oferecer uma grande realização.

Seguiram-se os rituais de recuperação do costume, gelo, misto de hidratos de carbono com proteína, meias de compressão, alongamentos, mais gelo, corrida ligeira, mais gelo... mas dois dias depois as pernas pesam mais que nunca. Hoje é dia de voltar aos treinos, mas como diz o sábio povo "por vezes, é melhor dar um passo atrás para dar dois em frente" que é como quem diz "por vezes, o melhor treino que se pode fazer é descansar".

Thursday, October 14, 2010

Verdadeiros Campeões

Não há grandes dúvidas quanto à espectacularidade da finalíssima do campeonato do mundo de Ironman disputada na ilha de Kona, Hawaii. Não só a prova, mas todo o evento desportivo montado à volta que vai desde as provas para as crianças, da corrida em roupa interior para angariar fundos para acções de solidariedade social até um sem fim de acções de formação da modalidade, promovidas pelos patrocinadores.

No sábado passado, acompanhei via internet, umas boas horas da corrida principal. E devo confessar que ver aqueles atletas "voarem" até à linha de meta me deixa completamente esmagado. Depois da natação e do ciclismo ainda ter pernas e coração para fazer uma maratona em 2h e 40 minutos é realmente impressionante. Mas devo confessar que a minha admiração vai inteiramente para os participantes que lutam durante praticamente a totalidade das 17 horas. São eles que me emocionam. São eles os verdadeiros campeões e aqui fica a minha homenagem.

video

Wednesday, October 13, 2010

Somos diferentes


No sábado passado realizei um dos principais testes para a maratona: o treino longo de 34km. No total foram 2h55m de corrida na companhia do meu ipod, de um 1 bidão de água e 3 geles de energia. Pelo caminho, apanhei sol, chuva, vento e frio, mas devo confessar que cheguei ao fim muito satisfeito. Claro que as pernas doíam, mas não estava particularmente cansado. Estava antes revigorado e cheio de fome.

Horas depois e já com as minhas meias de compressão calçadas, fiz uma pausa no meu visionamento do Ironman para ir jantar com uns amigos. Durante o jantar lá veio a conversa do exercício físico e as frases habituais "eu fiz isto...", "eu vou ao ginásio logo de manhã", "eu prefiro à tarde", "eu", "eu, "eu"... Por alguns momento ainda pensei em contar que naquela mesma manhã de chuva e frio tinha saído para correr quase 3 horas, mas lembrei-me desta campanha publicitária dos anos 90 para a Adidas que dizia "Runners, hey we're different". Realmente, se tivesse contado, acho que ninguém ia perceber o "porquê".

Thursday, October 7, 2010

3 Semanas

Nas últimas 3 semanas fui de férias. E a palavra é mesmo essa “fui”. Parti de Lisboa para uma viagem de carro a dois pelo norte de Espanha, sul de França e norte de Itália. Na bagagem um plano exigente de turismo e um plano ainda mais exigente de treinos em direcção à maratona de Lisboa. De fora ficou a bike.

Eu sabia à partida que durante estes dias ia ter muita vontade de fazer uns treinos de bicicleta, até porque o percurso incluía o Parque Nacional dos Picos da Europa, os Pirenéus, o famoso
Mont Ventoux, os campos das Provence e os montes e vales da Toscana. Mas também sabia que este tipo de treinos ia sacrificar a viagem e o humor da minha mulher dada a sua duração. Quando me meti nesta coisa da maratona estabeleci uma regra, possivelmente a única: se alguém tem que se sacrificar, sou eu. Assim, apenas os meus dois pares de ténis de corrida ganharam bilhete para a viagem.

No total foram mais de 7200km de carro e 24 sessões de treinos. Das sessões longas às sessões de velocidade, o plano foi totalmente cumprido sempre bem cedinho a tempo de tomar o pequeno-almoço com a minha mulher. É verdade que algumas vezes foi duro, mas afinal não é de dureza que estamos a falar quando falamos de maratona?
Aqui fica o meu Top5 de locais onde treinei:

Cangas de Onis
Umas das paisagens mais bonitas de todos os treinos. Em pleno Parque Nacional sempre com as montanhas com cenário é o local ideal para encher os pulmões de ar puro. Só é preciso ter cuido com o percurso, pois ao mínimo desvio e estamos na subida mais inclinada das nossas vidas.

Bilbau

Uma das boas surpresa da viagem. Fui até Bilbau para visitar o museu e acabei por descobrir uma cidade muito interessante. É verdade que é uma cidade industrial, mas o centro apresenta um planeamento urbanístico de fazer inveja. O treino decorreu na ciclovia das margens do rio.

Nimes

Era dia de treino longo de corrida (24km) e a verdade é que Nimes nem sequer estava no nosso itinerário. Saí para correr sem fazer a maior ideia para onde ir. Após 10 minutos de treino já andava às voltas o que antevia uma longa e entediante manhã. Até que vejo um ciclista entrar por uma rua bem estreita, logo seguido de outro e mais outro. Fui atrás e encontrei uma longa estrada com grandes bermas que saia da cidade pelo campo fora.

Coustellet

Em plena Provence com vinhas de um lado, vinhas do outro e as montanhas ao fundo.

San Rocco a Pilli

Em pleno coração da Toscana. Era um treino de recuperação onde pretendia apenas soltar os músculos das pernas. É verdade que o objectivo não foi bem atingido, pois na Toscana ou se está a subir ou a descer, mas a paisagem compensou tudo.